ARTIGO | OPEN BANKING, FASE 2: ENTENDA O COMPARTILHAMENTO DE DADOS DE CORRENTISTAS ENTRE INSTITUIÇÕES FINANCEIRAS

Por:
Públicada em: sexta-feira, agosto 13, 2021

Open Banking, fase 2: entenda o compartilhamento de dados de correntistas entre instituições financeiras

Autor: Walter Fritzke

Está prevista para 13/8/2021 a segunda fase do projeto Open Banking, uma das mais esperadas etapas do processo liderado pelo Banco Central do Brasil. A partir dessa data, os correntistas deverão decidir sobre o compartilhamento dos seus dados cadastrais e transacionais referentes às operações de crédito, conta depósito e cartão de crédito com outras instituições financeiras . Inicialmente prevista para 15/7/2021, a fase foi adiada em virtude de pedido das próprias instituições financeiras, para finalização dos testes. As etapas seguintes devem acompanhar o cronograma original proposto pelo Banco Central.

É necessário destacar ainda que a decisão é do correntista, e o seu consentimento é a base para essa nova fase.

Os efeitos esperados são positivos, e estão relacionados principalmente à democratização e concorrência do crédito, uma vez que a circulação de informações favorecerá a análise de crédito, que poderá se valer de informações históricas que até então eram de posse de apenas uma instituição financeira.

A nova fase é lastreada em muita tecnologia e processos para assegurar que a movimentação de dados seja segura, considerando que toda a troca de informações será feita através de APIs (Application Programming Interfaces) pelas instituições financeiras, fazendo com que o Open Banking funcione como um sistema bancário aberto. Na esteira da implementação das fases do projeto, a tecnologia é elemento fundamental para evitar que ocorram fraudes e vazamento de dados.

O Open Banking tem quatro fases, e o Banco Central prevê que todas estejam concluídas até dezembro de 2021. A partir dessa etapa de consentimento, os consumidores podem ter acesso também aos serviços de pagamento fora dos bancos. Na medida em que as fases do projeto forem concluídas, o consumidor poderá também compartilhar dados a respeito de outros serviços financeiros, como seguro e previdência, permitindo que ocorram muitos movimentos no mercado para melhor atender os clientes do setor.

A convergência entre regulação financeira, crédito e tecnologia que estamos vivendo aumenta a expectativa sobre o futuro do sistema financeiro. A dúvida não é mais “se”, mas sim apenas “quais” serão os novos produtos e formas de fazer negócio no setor financeiro.


Walter Fritzke é economista e consultor especializado em finanças do Martinelli Advogados.


O Martinelli Advogados realizou um levantamento junto a players do mercado que adotaram a prática, e preparou um e-book que demonstra como a desbancarização pode ajudar empresas de todos os setores. Clique no botão abaixo para acessar o e-book exclusivo:

FALE COM A NOSSA EQUIPE

ARTIGO | OPEN BANKING, FASE 2: ENTENDA O COMPARTILHAMENTO DE DADOS DE CORRENTISTAS ENTRE INSTITUIÇÕES FINANCEIRAS – Martinelli Advogados

Cadastre-se agora!

Deixe seu email para receber novidades do Martinelli.