GUIA DE BOAS PRÁTICAS ANTICORRUPÇÃO DA AGROINDÚSTRIA BUSCA FORTALECER O SETOR

Por:
Públicada em: terça-feira, maio 17, 2022

A agroindústria é um dos mais importantes ramos de produção da economia brasileira, responsável por quase 30% do Produto Interno Bruto (PIB) e aproximadamente 50% das exportações brasileiras. Via de consequência, em paralelo ao crescimento da importância e magnitude do setor, cada vez mais se exige das empresas e cooperativas do ramo a responsabilidade de oferecer bons exemplos e de ser modelos de conduta contra a corrupção, práticas ilícitas de lavagem de dinheiro e ações que vão de encontro à livre concorrência.

Pensando nisso, foi lançado pela Rede Brasil do Pacto Global das Nações Unidas (UN Global Compact) em abril de 2022 o Guia de Boas Práticas Anticorrupção da Agroindústria, que busca consolidar princípios fundamentais, estimular relações transparentes com o poder público, incentivar o setor a negociar em ambientes cada vez mais íntegros e principalmente atrair a atenção de toda a cadeia de valor da agroindústria para a adoção de ações que promovam a ética e a integridade.

Produzido por 17 empresas do setor agroindustrial, o material foi elaborado em conjunto por 44 membros da Ação Coletiva do Setor da Agroindústria, o que demonstra um esforço coletivo, no qual estratégias e metas claras foram definidas, visando mudanças impactantes no ambiente de negócios.

O guia é dividido em oito itens, que representam os principais pontos de atenção no que tange à ética e integridade, que são:

  1. Relacionamento com o Poder Público e Instituições Internacionais;
  2. Combate à Corrupção, à Lavagem de Dinheiro e ao Financiamento do Terrorismo;
  3. Meio Ambiente, Responsabilidade Social, Governança Corporativa e Direitos Humanos;
  4. Defesa da Livre Concorrência;
  5. Conflito de Interesses;
  6. Doações e Patrocínios;
  7. Brindes, Presentes e Hospitalidades;
  8. Medidas para Prevenção, Detecção e Correção.

Em cada um desses itens, inseriu-se o conceito do princípio ético, a importância da sua observância no contexto da agroindústria e exemplos de boas práticas que devem ser tomadas pelas empresas e cooperativas, buscando tornar o ambiente de negócios mais íntegro e seguro.

O guia ressalta ainda a importância do compromisso das empresas e cooperativas em adotar estratégias de ESG (Ambiente, Social e Governança), que englobam a preservação do meio ambiente, a redução das desigualdades sociais, a gestão consciente e íntegra, e a melhoria da governança corporativa na agroindústria.

Além disso, as ações descritas no Guia visam reforçar as medidas esperadas das empresas e cooperativas, bem como evitar a aplicação das sanções previstas nas legislações aplicáveis, sejam elas nacionais, como a Lei Anticorrupção Brasileira (Lei 12.846/2013), ou internacionais, como a Lei de Práticas Anticorrupção no Exterior (FCPA – Foreign Corrupt Practices Act) e a Lei do Suborno do Reino Unido (UK Anti-Bribery Act).

Com a adoção das boas práticas de integridades, espera-se fortalecer as estruturas de negócios e dar transparência à sociedade acerca das práticas do setor, gerando mais confiança e crescimento à agroindústria e tornando-a ainda mais competitiva, atrativa e sustentável.

Contudo, deve-se destacar que o Guia serve como uma espécie de norte à adoção das melhores práticas, que só se mostram efetivas se forem consideradas as características particulares de cada negócio.

Clique no botão abaixo e acesse o guia:

 

João Henrique Teixeira de Andrade, advogado cível do Martinelli Advogados

FALE COM A NOSSA EQUIPE

GUIA DE BOAS PRÁTICAS ANTICORRUPÇÃO DA AGROINDÚSTRIA BUSCA FORTALECER O SETOR – Martinelli Advogados

Cadastre-se agora!

Deixe seu email para receber novidades do Martinelli.